Maoli Training

Noite exclusiva no Reserva Cultural Niterói

 Noite exclusiva no Reserva Cultural Niterói

Na próxima segunda (24.04) a partir das 20h, será exibido em sessão especial o documentário “NA BATUCADA DA VIDA”, que retrata a vida de um dos mais efervescentes protagonistas da música brasileira, Chico Batera. Evento gratuito com número limitadíssimo de ingressos, disponíveis na bilheteria a partir das 15h desta segunda-feira. A exibição será seguida de um pocket show com o baterista Chico Batera e convidados especiais no hall principal do complexo Reserva Cultural.

Sobre o músico:
Com mais de meio século de carreira, iniciada aos 17 anos, o baterista e percussionista Chico Batera foi um dos protagonistas do período de maior efervescência da música brasileira. Reverenciado por seu talento e dono de um estilo próprio forjado desde muito cedo, participou da explosão da Bossa Nova no Brasil e no exterior, passando com igual desenvoltura pelo samba, jazz, rock e mpb. Ao longo desses anos, dividiu o palco e o estúdio com alguns dos mais importantes artistas brasileiros, incluindo Sérgio Mendes, Tom Jobim, João Gilberto, Chico Buarque, Edu Lobo, Elis Regina, Djavan e Johnny Alf, assim como expoentes da música internacional, entre eles Frank Sinatra, Ella Fitzgerald, Michel Legrand, Cat Stevens, Pablo Milanés e The Doors. Para traçar um panorama dessa bem-sucedida trajetória, que lhe rendeu fama internacional, o documentário Na batucada da vida com Chico Batera, com direção e roteiro do produtor e músico Mauro Costa Junior e patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, será lançado no próximo dia 30, na Casa de Cultura Laura Alvim.

“Desde que conheci Chico Batera, percebi o quanto de histórias de vida ele tinha para contar e o quão rica tem sido sua trajetória musical no Brasil e no exterior. Formalizei o convite ao gravar o show em comemoração aos seus 50 anos de carreira, há quatro anos, no Teatro Rival, quando propus ao Chico fazer este documentário”, explica Mauro.

Sobre o filme:
Gravado em Full HD, o filme de trinta minutos traz depoimentos de Chico Batera e de parceiros musicais como Sérgio Mendes, Chico Buarque, Wilson das Neves e Robertinho do Recife, além de resgatar imagens de arquivo como a do show em que tocou ao lado de Edu Lobo, Silvinha Teles e Rosinha de Valença, em 1966, na Alemanha, ou ainda a turnê com Sérgio Mendes, nos EUA, onde passou uma longa temporada com passagem pela Berklee School of Music. O baterista e percussionista carioca relembra o início da carreira, em 1960, quando, aos 17 anos, já integrava a orquestra de Carlos Machado, “O Rei da Noite”, na então badalada boate Night and Day, na Cinelândia: “Tive muita sorte de poder desde muito garoto ver em ação bateristas como Milton Banana, Dom Um Romão e Edson Machado. Foram três grandes escolas que me deram a base da bossa nova, samba e samba-jazz. Com apenas dois anos de instrumento, já tocava na boate mais chique do Rio e dava canja no Beco das Garrafas”, relembra.

Músico oficial da banda de Chico Buarque desde 1974, Batera também conta casos engraçados ao lado do compositor e de Ruy Faria, em papo descontraído depois de um jogo do Polytheama: “Comecei oficialmente com Chico (Buarque) no show Tempo e Contratempo, em 1974, no Teatro Casa Grande. Porque antes só participava de show em lugar de guerra: Nicarágua… Chama o Batera. Angola! Chama o Batera. Cuba! Pode ser preso na volta… Chama o Batera. Primeiro de maio, tem bomba, chama o Batera! Aí quando tinha show em Paris, levavam outro”, conta, arrancando gargalhadas dos dois.

O filme registra também uma experiência mais recente do artista, que, em 2002, criou a Oficina Brasileira de Percussão para ensinar música e percussão a crianças e adolescentes da Favela da Maré. “Foi um aprendizado para mim, de estar servindo, dedicando a minha arte a uma função social, fundamental àquelas crianças. Me deu grandes alegrias, formei grupos, tocamos no Teatro da UFF, em Niterói”, relembra.

O percussionista Felipe Tauil, de 32 anos, da Orquestra Suburbana, criada por Chico Batera, resume a importância do colega: “Estava batendo um papo com ele e Chico começou a contar uma história que foi para Marrocos, França, rodou o mundo. Aí você tá achando que ele tá falando de ontem e ele tá falando lá de 1970, que no avião estavam Martinho da Vila, Tom Jobim, Chico Buarque, Vinícius de Moraes… É quando você se dá conta de que ele está falando da história da música”.

Serviço:
Cinema Reserva Cultural Niterói
Centro Petrobras de Cinema
Av. Visconde do Rio Branco, 880 – Sao Domingos.
Tel.: (21) 3604 1545.

Horário de Funcionamento:
Sessões de Segunda a domingo: 13h às 24h
Bilheteria: 12h30 às 22h (sáb. até 24h)
Bombonière: segunda a domingo: das 12h30 às 22h/ Sábado até 24h.

Preços Ingressos: Evento gratuito com número limitadíssimo de ingressos. Disponíveis para retirada na segunda (24) a partir das 15h.
Estacionamento

Segunda a quinta: R$ 12,00 o dia todo

Horários de funcionamento: das 10h ás 24h todos os dias. Sábado até 3h.

Publicado em: 21 de abril de 2017, por: 

Comentários