O saudoso compositor, produtor e músico Arthur Maia, um dos maiores baixistas do mundo, vai receber uma merecida homenagem capitaneada pelo instrumentista e arranjador Pascoal Meirelles, no dia 26 de janeiro, às 19h, na Kaza Espaço Múltiplo, (ao lado do Corpo de Bombeiros) , em Itaipu, com entrada gratuita.

Amigos há mais de 40 anos, Pascoal e Arthur se conheceram quando Maia foi baixista do “Cama de gato”, grupo fundado por Pascoal. Na ocasião, foi Meirelles que teve a ideia de convidar o “sobrinho do Luisão Maia” – Arthur -, com 17 anos e já um grande talento.

A contribuição de Arthur Maia com o “Cama de Gato” ultrapassou o tempo em que ele integrou o grupo. A música “Nesse trem que eu vou”, escrita por Jacques Morelenbaum para que Pascoal apresentasse em sua formatura de graduação na Berklee School of Music-Boston, foi gravada no ano passado (2018), quarenta anos depois de formados. Para o baixo, o instrumentista convidado foi Arthur Maia.

No Tributo, serão apresentadas composições de Arthur gravadas pelo “Cama de gato”, além do tema “Nesse trem que eu vou”. Fazem parte do repertório: “Cruzado”, “Funchal”, “Por que não fui à Berklee?”, “Ju Pangaré”, “Dança da Lua”, “Outra Estrela” e “Vinheta”. As músicas foram selecionadas pelo próprio Pascoal Meirelles, que já atuou e atua com grandes nomes da música brasileira – Paulo Moura, Ivan Lins, João Bosco, Tom Jobim, Elis Regina, Toninho Horta e Gonzaguinha –, e, atualmente, se dedica ao lançamento do seu mais recente trabalho em EP denominado “Marés”, com lançamento previsto para este ano.

Formação:

Pascoal Meirelles Quarteto

Sérgio Barrozo – Contra Baixo

Alexandre Carvalho – Guitarra

Daniel Garcia – Sax e flautas

Pascoal Meirelles – Bateria, composições e arranjos

Sobre Arthur Maia…

Arthur Maia (9 de abril de 1962 – 15 de dezembro de 2018) faleceu, aos 56 anos, vítima de um infarto.  Instrumentista genial, deixou sua marca na história da música brasileira como um dos maiores baixistas do país e do mundo, capaz de ir do jazz ao funk com a mesma habilidade e sem jamais perder o groove.

Foi do tio, o também baixista Luizão Maia (1949 – 2005), que Arthur ganhou na adolescência o baixo elétrico. Aos 17 anos, iniciou a carreira profissional, absorvendo a influência do som black Rio que pautou grande parte da discografia do baixista como solista e como músico acompanhante. Aos 18 anos, gravou seu primeiro disco como músico de estúdio, A arca de Noé (1980).

Aos 19 anos, em 1981, Maia já gravava com Ivan Lins, tocando no álbum Daquilo que eu sei. Daí em diante, foi requisitado para tocar em discos e shows de grandes nomes da MPB e do pop nacional como Caetano Veloso, Djavan, Gal Costa, Gilberto Gil, Jorge Ben Jor, Lulu Santos, Marisa Monte e Milton Nascimento, entre muitos outros.

Arthur Maia foi também um dos fundadores do Cama de Gato, grupo carioca de música instrumental que, a partir de 1982, ajudou a criar a linguagem do jazz brasileiro. Mais tarde, precisamente entre 1985 e 1990, fez parte da banda pop Egotrip. Também integrou formações como a banda Black Rio.

Como solista, o músico e compositor deixou álbuns como Maia (1991) e Arthur Maia (1996).

SERVIÇO:

“Tributo a Arthur Maia” com Pascoal Meirelles Quarteto 
Data
: 26 de janeiro Horário: 19h
Local: Kaza Espaço Múltiplo(ao lado do Corpo de Bombeiros) Itaipu
Endereço: Avenida Francisco da Cruz Nunes, 4805 – Itaipu – Niterói  Entrada gratuita
Censura livre