A trajetória da Associação Médica Fluminense é tema de livro realizado com a Lei municipal de Incentivo à Cultura, a ser lançado no dia 14 de janeiro de 2020 (terça-feira), a partir das 19h,em sua sede na Avenida Roberto Silveira, 123, em Icaraí. Sob o título de “Associação Médica Fluminense – mais de 100 anos de amor à Medicina”, as 300 páginas narram o percurso glorioso da entidade, desde o seu embrião associativo em 1897, quando recebeu o nome de Sociedade de Medicina e Cirurgia de Nichteroy, até os dias atuais, sob a presidência da pediatra Zelina Maria da Rocha Caldeira.

Àqueles que se dedicarem à leitura da obra será possível conhecer a história das várias personalidades médicas que povoaram a cidade de Niterói e lutaram pelo ideal associativo, desde os primórdios da Medicina. São nomes como José Vergueiro da Cruz, Domingues de Sá, Aureliano Barcelos, Carlos Tortelly, Mário Monteiro, Marcolino Candau, Carlos Chagas, Vital Brazil e Eduardo Imbassahy, para citar alguns. Esse último médico, inclusive, é autor da célebre frase que retumbaria pelos anos afora, tornando-se norteadora das várias gerações que passaram pela AMF. “Sejamos unidos, sejamos amigos, sejamos irmãos”.

Tendo como pano de fundo a evolução da cidade de Niterói, desde quando era conhecida como a bucólica cidade de São Lourenço dos Índios, na primeira metade do século XIX, até a sua consolidação como uma cidade metropolitana, a história revela como os médicos se organizaram ao longo desse período, fortalecendo dessa forma a Medicina e a Associação Médica Fluminense. E os 10 capítulos do livro demonstram o poder que emana da união daqueles que lutaram por uma entidade forte e representativa de toda uma classe.

Em dias atuais destaca ainda o relevante papel desempenhado por médicos como Waldenir de Bragança, Newton Porto Brasil, João Carlos Cabral e Ivani Cardoso que hipotecaram a própria casa para construir a Casa do Médico na avenida Roberto Silveira em um curto período de tempo. O protagonismo da AMF, representada na época pelo seu presidente Alcir Vicente Visela Chácar, que atuou decisivamente na vinda ao Brasil do renomado cientista Albert Sabin, responsável pelaerradicação da poliomielite no país. Foi a motivação para contar essa história que impulsionou a equipe editorial do livro, que durante dois anos vem trabalhando de forma zelosa e caprichosa para conceber essa obra.

Nos bastidores da história

São cinco décadas de um material cuidadosamente guardado pelo pediatra Alcir Vicente ViselaChácar e que graças à iniciativa da Prefeitura de Niterói de incentivar projetos de cunho cultural, através da isenção de 20% do ISS recolhido pelas empresas, proporcionaram que essa rica documentação seja perenizada na obra “Associação Médica Fluminense: mais de 100 anos de amor à Medicina”. O relevante papel dos incentivadores também denota a força da obra, que conta com o apoio do Complexo Hospitalar de Niterói (principal incentivador), Unimed Leste Fluminense, Hospital Santa Martha, Laboratório Bittar, Oftalmoclínica Icaraí, Casa de Saúde Nossa Senhora Auxiliadora e Lext Propriedade Intelectual.

Foram dois anos de dedicação irrestrita da equipe editorial do livro para a organização de um volume considerável de documentos históricos, recortes de jornais e revistas e fotografias inéditas. No ano de 2019, após obter o aval da Prefeitura para a captação do recurso, seus idealizadores o médico Alcir Vicente ViselaChácar, a administradora Maria Gomes e a jornalista Verônica M. de Oliveira concretizaram o sonho de materializar o livro. Também integram a equipe a historiadora Ingrid Casazza, a designer Ingrid Cariello e a revisora Maria Bernadete Murno de Aquino.

Serviço:

Lançamento do livro “Associação Médica Fluminense – mais de

Data: 14/01/2020

Hora: 19h

Local: sede da Associação Médica Fluminense

Endereço: Avenida Roberto Silveira, 123 – Icaraí – Niterói-RJ

NitNegócios