Festival Tudo Blues no Teatro da UFFDe 2 a 12 de Junho, quinta a sábado 21h e Domingo 20h, o Teatro da UFF recebe mais uma vez o Festival Tudo Blues que promete fazer o mesmo sucesso que foi em 2015. Serão oito atrações que vão ocupar o teatro apresentando a diversidade do blues durante dois finais de semana.

Além do blues, que é o carro chefe e que vai estar bem representado pelas bandas Power Blues Experience, pelo guitarrista Paulinho Guitarra e pela cantora Adriana Ninsk, mais uma vez o rhythm’n’blues, o jazz, o rock e o soul vão estar presentes. Da mistura desses ritmos, surgiu na metade dos anos 60 o funk, e ele vai marcar presença no festival com a apresentação da banda Eletronaipe. Na verdade, esse funk se popularizou nos anos 70 graças a James Brown, Earth, Wind & Fire, Stevie Wonder, Jackson Five entre outros, e no Brasil através da Banda Black Rio, Gerson King Combo, Tim Maia, Toni Tornado, Carlos Dafé e Cassiano.

Outro momento interessante do festival Tudo Blues é o show do gaitista Jefferson Gonçalves que tem como base mesclar os ritmos nordestinos com o blues e o country rock. É interessante observar que, o canto, os temas e o ritmo do blues, têm certas semelhanças com os cantos nordestinos e o baião. Segundo alguns estudiosos, a mistura do som melancólico do blues com a sanfona, zabumba, pandeiro e triângulo, possivelmente veio surgir o forró que pode ter sido, também, influenciado pela Europa, através dos bailes promovidos pelos construtores das ferrovias onde todos podiam participar sem distinção de classe social ou raça, homens ou mulheres, ou seja, um evento “for all” (para todos).

O Tudo Blues terá três noites dedicadas aos tributos. A cantora Alma Thomas, que contará com a participação do guitarrista Victor Biglione, vai fazer um tributo a Etta James, já o Nico Rezende & Guilherme Dias Gomes Quinteto vai interpretar composições clássicas do trompetista e cantor de jazz Chet Baker, e a banda Ramblin’ Brothers que irá encerrar o festival, vai destacar alguns dos grandes sucessos da The Allman Brothers Band.

Como se pode notar, o Tudo Blues tem como definição mostrar que o blues influenciou vários estilos musicais, como o jazz, o rock, a música country, o soul, o funk setentista, a música pop e, quem sabe, até o forró.

Datas e atrações:

02/6 – Adriana Ninsk

Blues, jazz, country, rock e soul, assim é o trabalho de Adriana Ninsk que começou a se apresentar profissionalmente, durante a sua adolescência como integrante da banda country Sallon & Cia, com a qual gravou o seu primeiro disco em 1992.
Para o festival Tudo Blues, ela vai estar acompanhada pelos músicos Raimundo Luiz no contrabaixo e voz, Flávio Santos na bateria, João Pompeu nos teclados e a participação especial de Pedro Braga na guitarra, cítara, violão folk, slide guitar e voz.

Adriana Ninsk participou dos discos “Quando a noite cai” de Celso Blues Boy e “Embaixador do Reggae” de Nabbi Clifford, foi backing vocals da banda Double You em sua turnê nacional e lançou o cd autoral “Alma Negra” em 2012.
Paralelamente ao seu trabalho nos palcos, Adriana Ninsk gravou vários jingles que lhe renderam prêmios de destaque de solo vocal nos anos de 1993, 1994 e 1995, concedidos pela ABRACOMP (Associação Brasileira de Colunistas de Marketing e Propaganda), gravou temas para as trilhas musicais do infantil “TV Colosso”, da minissérie “Decadência” e da novela “Malhação”.

03/6 – Alma Thomas – Tributo a Etta James

Alma Thomas faz um tributo à cantora de blues, rhythm’n’blues e jazz Etta James interpretando alguns dos seus sucessos. Nesse show, ela contará com os músicos Rodrigo Villa no baixo, Roberto Alemão na bateria e a participação especial de Victor Biglione na guitarra, além de ser o responsável pelos arranjos e direção musical.

Cantora e compositora norte-americana, nascida em Nova York, Alma Thomas veio para o Brasil em 2004 fixando residência no Rio de Janeiro, e menos de um ano depois, Alma teve sua estreia fonográfica pela Som Livre, na compilação de Jazz “GNT – New Jazz”, ao lado de Diana Krall, Nora Jones, John Pizzarelli e David Sanborn onde está presente como intérprete e compositora. Desde então Alma Thomas vem construindo sua carreira como cantora de Jazz, rhythm’n’blues e até de MPB e já se apresentou em festivais de jazz e blues no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Natal, Belém, Salvador, Rio das Ostras e no Bourbon Street, em São Paulo, e vem promovendo sua mistura rítmica multicultural, com composições incluídas nos longas “Se Eu Fosse Você” e “De Pernas Pro Ar”, além de ter lançado três CD’s autorais (dois deles também no Japão) e parcerias com diversos compositores brasileiros como Bernardo Vilhena, Zezo Olympio e Alexandre Castilho que resultaram em grandes sucessos como a música “One More Take” que fez parte da trilha da novela “Passione”, TV Globo.

04/6 – Jefferson Gonçalves e Banda
Jefferson Gonçalves faz um show especial no Tudo Blues para promover o CD e LP intitulado “25 anos de Carreira” que é uma coletânea comemorativa de composições autorais escolhidas pelos fãs e versões inéditas de dois clássicos do blues: Shame, Shame, Shame (Jimmy Reed) e I Can’t Be Satisfied (Muddy Waters), além de outras composições autorais que não foram lançadas em nenhum CD do artista. Nessa apresentação, ele conta com a participação especial do percussionista Laudir de Oliveira, músico que já tocou com Sergio Mendes, Chicago, Joe Cocker, Carlos Santana, Jackson Five, Gal Costa, Airto Moreira, entre outros.
O músico se destaca pelo bom gosto, técnica, sofisticação e musicalidade, com sua gaita faz um mix entre a música negra norte americana e o regionalismo dos ritmos nordestinos como o forró, o baião, o xaxado, o maracatu, entre outros.
Os sons da harmônica de Jefferson vão, assim, alinhavando e alinhando ideias, ordenando possibilidades e provocações, dando novos rumos ao que para muitos é, não se espante, novo rumo. É uma proposta ousada, mas tem a mesma essência que marca na genuína música brasileira – formatada ao longo de cinco séculos por influências e interferências do que se fez e se faz na Europa, na América do Norte e na África, tudo isso temperado com uma malemolência e uma criatividade tipicamente subtropical.

Com isso, o carioca Jefferson Gonçalves se destaca como um dos mais versáteis nomes da gaita no país. Tocou para públicos diversos, apresentando-se em algumas das melhores casas de Blues do mundo, como: Teatro San Martin (Buenos Aires), Blue Note (Nova York), Deep Ellum Blues (Texas) e Bamboo Room (Flórida), em seu currículo também constam apresentações na Espanha (Madrid e Toledo), Alemanha (Frankfurt) e África (Senegal).

Jefferson Gonçalves é uma das principais referências dentro do cenário da gaita no Brasil e no mundo, fundador do grupo Baseado em Blues e do trio acústico Blues ETC., estando desde 2004 em carreira solo com 7 CDs, 1 DVD e 1 LP lançados.

05/6 – Nico Rezende & Guilherme Dias Gomes Quinteto – Tributo a Chet Baker

Nico Rezende (piano e vocal); Guilherme Dias Gomes (trompete); Fernando Clark (guitarra); Alex Rocha (contrabaixo acústico) e André Tandeta (bateria), interpretam nesse show, clássicos do cultuado intérprete, trompetista e precursor do Cool Jazz, Chet Baker, como “Time After Time”, “My Funny Valentine”, “There Will Never Be Another You”, entre outros.
Chet revolucionou o mundo do Jazz com sua voz suave e seus improvisos melódicos, influenciando gerações de músicos e estilos como a própria Bossa Nova. O referido álbum: Chet Baker Sings , que em 2015 completou 60 anos de seu lançamento, tem como característica marcante o formato pop das canções, com melodias e solos num formato até hoje atual.

Cada músico do quinteto tem no currículo vários trabalhos de destaques:

Nico Rezende, além de pianista e cantor, é compositor, produtor e arranjador. Compôs trilhas sonoras para cinema, teatro, TV e propaganda. Produziu nomes como Cazuza (Exagerado), tem oito discos lançados e ganhou prêmios como arranjador e na publicidade.

O trompetista Guilherme Dias Gomes conta com cinco discos lançados e já tocou em shows e gravações ao lado de artistas como Rita Lee, Gal Costa, Paulinho da Viola, Roberto Carlos, Chico Buarque, Nara Leão, Erasmo Carlos, Kid Abelha, Angela Ro Ro, Fagner, Leila Pinheiro, Ivan Lins, etc., participando de turnês que percorreram a América Latina, Europa e Estados Unidos.

Fernando Clark, guitarrista e compositor, já trabalhou com Danilo Caymmi, Raul Mascarenhas, Paulinho Trompete, Conexão Rio, Cia Estadual de Jazz, Vittor Santos Orquestra, entre outros.

Alex Rocha soma mais de 20 anos de carreira como contrabaixista, conta com um cd autoral lançado em 2003, já acompanhou artistas como Milton Nascimento, Victor Biglione, Wagner Tiso, Celso Blues Boy, Itamara Koorax, Pery Ribeiro, Zé Renato, Leila Pinheiro e também nomes do jazz internacional, como Eddy Palermo, Phil DeGreg, Jeff Kunkel e Mark Lambert. Fez parte da banda do cantor Emílio Santiago de 2003 até 2013.

Andre Tandeta, baterista profissional há 38 anos, tocou e/ou gravou com grandes nomes da MPB e da música instrumental brasileira, como Wilson Das Neves, Marcio Montarroyos , Victor Biglione, Ricardo Silveira, João Bosco, Wagner Tiso, Boca Livre, Ivan Lins, Nana Caymmi, Nelson Cavaquinho, Zé Renato, Mauro Senise, Flavio Guimarães e muitos outros.

09/06 – Power Blues Experience

Banda formada por músicos de blues/rock dos mais experientes do RJ, trazendo o melhor do “power blues” com um repertório que inclui clássicos de Gary Moore, Stevie Ray Vaughan, Joe Bonamassa e Jimi Hendrix, entre outros.
Dois integrantes da banda, os irmãos Alex (guitarra) e Rodrigo Martinho (bateria) já acompanharam nos anos 90 um dos maiores nomes da história do blues brasileiro, Celso Blues Boy, excursionando com ele e tocando para multidões por todo o Brasil.

Alex é um dos guitarristas mais conceituados do país. Formou-se com “honors” pelo GIT (USA) em 1992, e tem uma carreira solo como guitarrista instrumental-rock que conta com cinco CDs e três DVDs, além da participação em diversas coletâneas de guitarra. A banda Power Blues Experience é um novo projeto do guitarrista Alex Martinho, que mergulhou de corpo e alma no blues nos últimos tempos.

Complementam a banda Marcelo Moraes nos vocais e contrabaixo e Luiz Alvim nos teclados, músicos que assim como o baterista Rodrigo Martinho são dos mais experientes e atuantes na cena de rock do RJ, com inúmeras bandas e projetos desde os anos 90.

10/6 – Eletronaipe

A Eletronaipe é uma banda que tem a sonoridade totalmente negra. Ela passeia pelo funk setentista e a soul music, pelo rhythm’n’blues e o jazz, pelo blues e o rock e indo até o pop. O show da Eletronaipe vai ser um momento muito especial para os músicos. Nesse dia, eles estarão lançando o cd “A Evolução do Malabarista”, o primeiro da banda.
Criada pelo trompetista Rafael Nascimento e pelo guitarrista Ticão Freitas, a Eletronaipe conta com mais oito músicos: Marquinho OSócio (voz), Wellington Siqueira (trompete), Ckalebe Mendes (sax alto), Moisés Jr. (sax tenor), Dudu (trombone), Felipe Martins (bateria), Luiz Otávio (teclado) e Thaizinho Costa (baixo). Todos os músicos de alto nível, que desenvolvem carreiras individuais e já tocaram com músicos renomados como Marcelo D2, Arthur Maia, Gabriel Pensador, Sandra de Sá, Elba Ramalho, Claudio Zoli, Léo Jaime, entre outros.

Essas características resultam numa musicalidade contemporaneamente clássica e classicamente moderna, por conta do caldeirão de referências da banda e da jovialidade dos integrantes da Eletronaipe.

11/6 – Paulinho Guitarra

Com quatro discos lançados, onde o blues, o jazz e o funk setentista são presenças marcantes, Paulinho Guitarra é músico instrumentista, compositor e produtor musical. Ajudou a escrever a história da música brasileira e tem registrado o seu nome ao lado de inúmeros artistas, intérpretes e compositores, entre os quais: Ed Motta, Bebel Gilberto, Tim Maia, Cassiano, Hyldon, Marina Lima, Cláudio Zoli, Cazuza, Gerson King Combo, Cassiano, Sandra de Sá, Paula Lima, Carlos Dafé, Banda Black Rio, Serginho Trombone, Leo Gandelman, Celso Blues Boy e outros.

Vivenciou ativamente, entre os anos 70 e 80, o período da invasão funk e soul na música brasileira, razão do “título” conferido pela revista Guitar Player (agosto de 1999): “criador da guitarra funk brasileira”.

O estilo refinado que Paulinho tira da guitarra, foi sendo lapidado e chegando a perfeição graças ao seu profissionalismo que começou aos doze anos de idade, quando em 1967 formou o conjunto “Os Adolescentes”, que chegou a ser conhecido como “um dos melhores conjuntos de baile do Estado do Rio de Janeiro”, conquistando vários prêmios e festivais.

12/6 – Ramblin’ Brothers – Tributo a Allman Brothers Band

Alexandre Barcelos (guitarra), Kleber Dias (guitarra, violão, bandolim e voz), Fabio Mesquita (baixo), Ricardo Magoo (órgão) e Marco BZ (bateria), se juntaram e formaram a banda Ramblin’ Brothers que está fazendo a sua estreia no festival Tudo Blues. São músicos que já estão com mais de vinte anos na estrada do blues e rock, vindo de bandas consagradas no cenário brasileiro, como Baseado em Blues, Suburblues, Jefferson Gonçalves e Blues Power. Já acompanharam vários artistas internacionais em suas turnês pelo Brasil, como Peter MadCat, Norton Buffalo, Jammie Wood, Johnny O. Band, entre outros. São músicos que já estão com mais de vinte anos na estrada do blues e rock e que já passaram por vários festivais de blues e jazz.

Eles prometem fechar o festival com chave de ouro reverenciando a Allman Brothers Band e interpretando alguns dos seus grandes clássicos que marcaram essa banda, como “Midnight Rider”, “Whipping Post”, “Melissa”, “Jessica”, “Statesboro Blues” “Blue Sky”, entre outros.

Serviço:
Festival Tudo Blues no Teatro da UFF
Horário: Quinta a sábado 21h / Domingo 20h
Ingresso: R$ 40,00 (normal) e R$ 20,00 (estudantes, maiores de 60 anos, menores de 21 anos e pessoas
com deficiência)
Censura: Livre
Local: Teatro da UFF – Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí, Niterói, RJ – Tel.: 3674-7512

ENVIAR MENSAGEM
Estamos online!
%d blogueiros gostam disto: