Selecionada por meio do Edital de Fomento ao Audiovisual 2018, acontece nesse mês de agosto, em Niterói, uma mostra de filmes internacional inédita com temática voltada à inclusão da pessoa com deficiência. Um cinema em que todos são iguais, sem diferenças. Esta é a proposta da “Mostra FIFH – Cinema sem Diferenças”, que irá contar com uma programação internacional de filmes que envolvam pessoas com deficiência, tanto na temática quanto na equipe. O evento é chancelado pelo Festival International du Film sur le Handicap (FIFH), que acontece na cidade de Lyon, no Sul da França. Esta será a primeira vez que o Festival terá uma mostra exclusiva no Brasil: Niterói abrigará essa experiência, importante iniciativa de difusão e inclusão. As sessões acontecerão de 15 a 19 de agosto, no Cine Arte UFF e na Câmara de Vereadores de Niterói, todas com entrada gratuita. 

“Ao todo, serão exibidos 24 filmes, entre longas e curta-metragens nacionais e internacionais, numa seleção especialmente preparada pela curadoria do FIFH. Teremos também sessões com recursos de acessibilidade – audiodescrição, LSE (legendagem para surdos e ensurdecidos) e Libras”, explica Luana Dias, coordenadora da “Mostra FIFH – Cinema sem Diferenças”.

A mostra contará com convidados: da França, virão o diretor e roteirista francês Jules Thenier – que apresentará os filmes “Napoleón” e “Vênus de Milo” e Flavia Vargas, programadora do Festival International du Film sur le Handicap (FIFH). A diretora Manoela Meyer, do filme “Solares”, e o ator e comediante “Gigante” Léo, um dos protagonistas do documentário “Léo & Carol” também já confirmaram presença nas exibições e rodas de conversa de seus respectivos filmes.

“No FIFH, nós sonhamos com um mundo melhor, onde viver juntos, com as nossas diferenças será uma força, uma riqueza, um ativo. Carinho, amor, humor, histórias fantásticas, deficiências visíveis ou invisíveis, mensagens de esperança constituem as ‘cores’ e o diferencial de nosso Festival. Estamos muito felizes em chegar à Niterói”, explica Katia Martin-Maresco, fundadora e diretora do FIFH.

A Mostra FIFH – Cinema sem Diferenças conta com o patrocínio da Fundação de Arte de Niterói por meio do Edital de Fomento ao Audiovisual 2018. O evento tem apoio da UFF – Universidade Federal Fluminense, através do Centro de Artes UFF e da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis; da Câmara de Niterói; do Institut Français, da Embaixada da França no Brasil e do Icaraí Praia Hotel. Apoio cultural da Coordenadoria de Acessibilidade de Niterói, Bistrô MAC e Bonevi Espumante Expresso; apoio institucional do Instituto Qualivida; e promoção da Aliança Francesa de Niterói, Ecoponte, Viação Mauá, Inclusive Acessibilidade, Empodere Mídias Sociais e Neltur. O evento é realizado pela Casa da Gente, em parceria com o Festival International du Film sur le Handicap.
Para mais informações, siga os perfis no facebook e instagram: @cinemasemdiferencas. E para a programação completa, acesse: http://bit.ly/2JQgM1n

Depois de três edições na França, o FIFH está chegando ao Brasil por Niterói, o que muito nos honra. Em nossa versão, a programação projeta um cinema sem fronteiras e sem diferenças. Afinal, a temática de inclusão social é uma das marcas de nossa gestão”, diz o presidente da FAN, André Diniz.

Destaques da programação

A sessão de pré-estréia da Mostra, que acontece no dia 15 de agosto, às 14h, no Cine Arte UFF, será dedicada prioritariamente a estudantes, em parceria com o projeto “Cine Escola”. Ao todo, serão exibidos seis curtas: ação, romance, drama e comédia fazem parte da premiada seleção . “Anna”, produção da Nova Zelândia, conta a história de uma jovem sobre o espectro do autismo; “Napoleão” (“Napoleón”), dirigido por Jules Thenier, traz de forma inusitada e cômica um dos grandes ícones da História: Napoleão Bonaparte. O diretor estará presente para uma roda de conversa com a plateia, logo após a sessão. Já “De ponta cabeça” (“Downside Up”), traz para a telona os tons de uma realidade fantástica, de um mundo onde todos são parecidos, e Eric, um menino diferente, acaba de nascer. Os filmes terão audiodescrição como recurso de acessibilidade.

A abertura oficial da Mostra acontece na sexta, dia 16/08, às 19h, onde o grande destaque vai para o longa-metragem “Vai ou racha” (“Marche ou Crève”). Prêmio de Melhor Ficção do FIFH 2019, o filme – uma produção francesa – é inspirado na autobiografia da diretora, Margaux Bonhomme. O drama conta a história da jovem Elisa, que deseja viver o melhor verão de sua vida, curtindo o momento. Porém, aos 17 anos, ele só conhece obrigações. Sua mãe sai de casa, e ela deve ficar com o pai cuidando de sua irmã com deficiência. Na noite, serão exibidos ainda os curtas “Dois pés Esquerdos” , da Itália; “Vaysha , a cega”, do Canadá; e “Ser o que se é”, produção brasileira. A sessão terá audiodescrição.

No sábado, às 19h, o Cine Arte UFF irá receber dois documentários: o curta “Solares” de Manoela Meyer, e o longa-metragem “Diários de Canal” . O filme acompanha a travessia do paratleta Marcelo Collet no Canal da Mancha, considerado um dos trajetos mais desafiadores da natação. Collet se tornou atleta do Paratriathlon após um grave acidente em Salvador durante um treino do ciclismo, que o fez perder parte dos movimentos de uma das pernas. Apesar da tragédia, o jovem conseguiu impulsionar sua carreira no esporte, e hoje coleciona diversas conquistas. Os filmes da sessão terão LSE (legendagem para surdos e ensurdecidos) e Janela de Libras.

Inédito na América Latina, o documentário francês  “Deixe-me Amar” (“Laissez-moi aimer”) participou recentemente da “Semaine du Cinéma Positif” do Festival de Cannes. Dirigido por Stéphanie Pillonca, o filme fala sobre arte, amor e deficiência através de artistas que participam de um projeto de dança inclusiva, liderado pela bailarina e coreógrafa Cécile Martinez. O filme recebeu a Menção especial do júri da edição 2019 do FIFH, e está programado para domingo, às 19h30, no Cine Arte UFF.

Na segunda, dia 19 de agosto, as sessões acontecem na Câmara de Niterói; a casa legislativa da cidade – que comemora 200 anos durante o mês de agosto – abraçou a Mostra de Cinema. A maratona de filmes se inicia às 10h, com uma sessão composta por seis curtas, e prioritária para estudantes. Às 15h, três filmes ocupam a telona: o documentário “Leo & Carol”; a premiada ficção “A linha do Karma”, e o longa-metragem “Gabor”. O ator e comediante Gigante Léo estará presente para uma roda de conversa. Às 17h, será realizada uma Plenária Solene de encerramento da Mostra, com a presença de convidados, associações e homenagens.

Para o Secretário das Culturas, Victor De Wolf, “Niterói usa a arte para servir de exemplo ao Brasil. Para mostrar que diversidade, acolhimento e inclusão são elementos essenciais para uma sociedade justa, com autoestima, respeito e sem diferenças. Onde todos são iguais”.

Seminário    

Paralelo à Mostra FIFH – Cinema sem Diferenças, será realizado o “1º Seminário de Acessibilidade Cultural”. O evento  será o marco da implantação da política de Acessibilidade Cultural no Centro de Artes UFF.  Ao proporcionar acolhimento e acesso à fruição artístico-cultural, beneficiará os diversos públicos, como sensibilizará a sociedade à inclusão das pessoas com deficiência no convívio social. O seminário contribuirá com reflexões em mesas temáticas com temas como a Diversidade e Direitos Culturais; depoimentos de pessoas com deficiência e práticas acessíveis na UFF;  relatos de experiências no campo da Produção Cultural e de estratégias e acessibilidade em instituições culturais e em Pontos de Cultura;  cinema e acessibilidade; iniciativas e desafios em acessibilidade cultural nas linguagens artísticas;  turismo e gastronomia acessível.  A programação é gratuita e aberta ao público em geral, com certificação aos participantes que atestem75% de presença. Mais informações: https://www.facebook.com/centrodeartesuff/

SERVIÇO

Mostra FIFH – Cinema sem diferenças
Niterói, de 15 a 19 de agosto de 2019

Cine Arte UFF (de 15 a 18 de agosto, quinta-feira a segunda-feira)
Datas: Sessões dia 15 de agosto, às 14h; e dias 16, 17 e 18 de agosto, às 19h
Endereço: Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí, Niterói

Espaço Cinema Câmara de Vereadores de Niterói (19, segunda-feira)
Datas: 19 de agosto, com sessões às 10h e 15h e Plenária Solene de encerramento às 17h
Endereço: Av. Ernani do Amaral Peixoto, 625 – Centro, Niterói

ENTRADA FRANCA

Quinta, Dia 15 de agosto

14h

Avant première – Pré-estreia – Mostra Cinema sem Diferenças em parceria com “Cine Escola” da UFF

Exibição de curtas-metragens

Anna de Harriett MAIRE – 9’, Nova Zelandia
O filme segue as ações e interações de Anna, uma jovem sobre o espectro do autismo, e o que acontece quando sua rotina é inesperadamente interrompida. Anna gosta de viver uma vida de rotina rigorosa e sua condição é facilitada por sua capacidade de controlar os pequenos detalhes de seu dia, o que lhe dá uma sensação de regularidade. Quando alguém involuntariamente se senta em seu assento no ônibus da manhã, seu dia gira fora de controle. Esta é uma história sobre como Anna lida com mudanças não planejadas em seu dia.

“Vai, Just” (Just Go), de Pavel GUMENNIKOV – 6′ – Letônia
Just e Leva acabam de se encontrar, conversam afetuosamente, quando de repente a conversa é interrompida por dois ladrões. Inspirada na história real de um garoto que nunca desiste.

“Napoleão” (Napoléon), de Jules THENIER e Maxime POTHERAT, 2.33 min -França
E se atrás de cada evento da Grande Historia, cada episodio da mitologia, esconde-se um personagem com deficiência, cujo papel fosse apagado deliberadamente?

Questão de ponto de vista (Ansichtssache) de Alexander ULLMANN, 5′ – Alemanha
Tamara entra no brechó de Netta, que se fascina por ela, pela forma como Tamara desliza suas mãos entre as roupas expostas.

O elefante e o homem cego (The elephant and the blind men) de Claudia ALVES – 4′- Portugal e Índia
Um grupo de cegos tateia um elefante para saber o que é. Cada um sente uma parte e as descrições não batem. É também  o que acontece quando um viajante europeu decide descobrir a Índia.

De ponta Cabeça(Downside Up) de Peter GHESQUIERE – 15′- Bélgica
Num mundo onde todos são parecidos, Eric, um menino diferente, acaba de nascer.

Conversa após a sessão entre a plateia e estudantes  do Cine Escola, o realizador francês Jules Thenier (de “Napoleon”) e com Flavia Vargas (programadora do FIFH)

Sexta, Dia 16 de agosto

19h
Abertura oficial da “Mostra FIFH – Cinema sem Diferenças”
Cerimônia de abertura com fala de parceiros e apresentação da programação completa

19h30
Exibição de filmes (tempo total: 110 MIN)

Dois pés Esquerdos (Due Piedi Sinistri), de Isabella SALVETTI – 6′ – Itália
Em um bairro de Roma, Mirkojoga futebol, enquanto Luana espera seu pai. Um garoto e uma garota parecidos e diferentes.

Vaysha , a cega (Vaysha, L’aveugle)deTheodore USHEV – 7′ – Canadá.
Vaysha não é uma menina como as outras, ela nasceu com um olho verde e um marrom. Seus olhos bicolores não são a única característica de seu olhar.

Ser o que se é de Marcela LORDY – 7′  – Brasil
A relação da mulher com o corpo através do tempo. Um curta livremente inspirado na carta da espanhola Jessica Goméz, que viralizou no verão europeu em 2016.

LONGA-METRAGEM DE ABERTURA

Marche ou Crève de Margaux BONHOMME – 90′ – França
Prêmio de Melhor Ficção do FIFH 2019, “Marche ou Crève” é baseado na história real da diretora, Margaux Bonhomme. Elisa quer viver o melhor verão de sua vida, curtindo a vida e o momento. Aos 17 anos, ele só conhece obrigações. Sua mãe sai de casa e deve ficar com o pai cuidando de sua irmã com deficiência. Tudo é distorcido e isso começará a oscilar entre o amor e o ódio, até que finalmente decida o que você realmente sente.

Sábado, Dia 17 de agosto
Tempo de sessão: 82 minutos

19h

“Solares”, de Manoela Meyer, 6′ – Brasil
O encontro da imaginação e sensibilidade de duas mulheres cegas que registram em fotografias seus interesses, sonhos e maneiras de se relacionar com o mundo.

Diários de canal de Felipe KOWALCZUK – 76′ – Brasil
O documentário acompanha a travessia do paratleta Marcelo Collet no Canal da Mancha, considerado um dos trajetos mais desafiadores da natação. Collet se tornou atleta do Paratriathlon após um grave acidente em Salvador durante um treino do ciclismo, que o fez perder parte dos movimentos de uma das pernas. Apesar da tragédia, o jovem conseguiu impulsionar sua carreira no esporte, e hoje coleciona diversas conquistas.

Conversa com equipe do filme “Diários de Canal” e a diretora Manoela Meyer após a sessão

Domingo, dia 18 de agosto

19h
Eduardo mãos fixas – “Eduardo Manos fijas” de Jim SORRIBAS SOLER  – 3’ – Espanha
Uma estória de amor entre dois playmobils.

Blindly Dancing , de Fabio PALMIERI – 8′- Itália
Você não precisa de olhos para dançar. Um documentário que segue a história de Elena Travaini,  e o método que ela inventou para nutrir sua forte paixão pela dança além dos limites, devido ao câncer de retina com o qual ela vive desde o nascimento e que a deixou quase cega.

LONGA METRAGEM – ESTREIA SUL-AMERICANA

Deixe-me amar (Laissez-moi aimer)de Stéphanie PILLONCA – 52 min – França
Prêmio de menção especial do júri no FIFH 2019, o documentário foi exibido no Festival de Cannes 2019, na Semaine du Cinéma Positif. Eles ensaiam, se enlaçam, se amam. Aurore, Pierre e Thomas têm deficiências diferentes. Estimulados por uma incrível energia de vida, eles vão se reapropriar  de seus corpos através da dança integrada, guiada por jovens dançarinos talentosos. No decorrer das coreografias, eles contam sua vida sentimental e seu cotidiano.  O amor superando tudo. Este filme documentário é focado nestes três amigos com deficiência, três destinos e a prática de dança. As coreografias de Cécile Martinez, coreógrafa e professora de dança, abrem suas mentes: eles também têm o direito de se desabrochar, dançar e amar.

Segunda, dia 19 de agosto

Sessões na Câmara de Vereadores de Niterói / 10h

Sessão especial para estudantes e juventude
Tempo total de exibição: 43 minutos

Au-dela des mots (Além das Palavras) de Jérôme Thomas et Olivier Marchal – 5’, France
Em uma biblioteca pública, um jovem se apaixona por uma jovem. Como eles vão conseguir se comunicar em um local tão silencioso? E se essa situação os colocar em condições iguais?

Escolhida(Picked)de Kelsey Amelia SNELLING – 8’30” – USA
A busca de uma menina pela abóbora perfeita e a distância de seus amigos

Vênus de Milo de Jules THENIER e Maxime POTHERAT – 3′ – França.
E se a celebre Venus de Milo fosse a primeira pessoa com deficiência a posar na história?

Terapia do choque (SchockTherapy) de Bali ENGEL  & Matthieu LANDOUR  – 7′- Reino Unido
Aranhas, serpentes, monstros, seja lá o que for, Jim se apavora com certeza, até o dia que ele se dispõe a enfrentá-los.

A concha (La coquille)de Collectif d’adultes déficients – 13′ – Bélgica
Uma manhã, Sam descobre uma concha em suas costas, que vai crescendo diariamente e transformando sua maneira de viver.

Pistão(Piston) de Marvin ARCHAIMBAULT, Désir BOUCAUD, Marc HUGUES, Arnaud KUPKE, Hugo MINE, Vincent ORSO-MANZONETTA, Kai YANG – 5′ – França
Um homem em cadeiras de rodas se sente constrangido por um policial.

Conversa com o realizador francês Jules Thenier e Flavia Vargas, programadora do FIFH, após a sessão / 15h

Tempo de duração: 93 minutos

Leo & Carol de Alvaro CAMPOS et Dafne CAPELLA – 6′ – Brasil https://www.youtube.com/watch?v=AydeHgFSG2whttps://youtu.be/AydeHgFSG2w
Leo é humorista de stand up, e segundo sua carta de motorista  é uma pessoa ”verticalmente deficiente” . Carol é uma pedagoga e mede 1m67. Qual é o problema de construir um conto de fadas?

A linha do Karma (The Karman Line) de Oscar SHARP – 24 minutes- USA
https://youtu.be/AvKAa71LQXg
Protagonizado por Olivia Colman, a premiada atriz, vencedora do Oscar 2019. A mãe de Carlie contrai uma doença desconhecida e lentamente começa a flutuar.

LONGA-METRAGEM

Gabor, de Sebastián ALFIE – 69′- Bolívia/ Espanha
Sebastien tem que filmar um documentário sobre a cegueira nas terras altas da Bolívia. Buscando equipamento para atirar nele, ele conhece Gabor, um diretor de fotografia aposentado que perdeu a visão dez anos atrás. Sebas propõe que ele seja seu colaborador e que eles se unam na Bolívia. Mas se Gabor não pode ver, como ele será capaz de filmar? Vencedor do prêmio de melhor diretor e prêmio de audiência de melhor documentário no último Festival de Málaga e o prêmio de melhor documentário, dado pelo Canal + na Documenta Madrid.
Trailer: https://youtu.be/fYk4nGaTZgo

17h / Sessão Plenária Solene – encerramento da Mostra Cinema sem Diferenças

NitNegócios