Do dia 24 ao dia 30 de abril, o Centro de Artes UFF recebe o projeto Brasil: a margem – Teko Porã (na língua guarani traduz a ideia do Bem Viver), que integra a programação do Ano Internacional das Línguas Indígenas, designado pela UNESCO.
Baseado nessa temática do bem viver, o espaço da UFF vai receber 3 conferências principais de escritores indígenas, como Daniel Munduruku (Ancestralidades indígenas e dilemas contemporâneos), Eliane Potiguara (no debate sobre Mulheres originárias: resistência, poesia e identidade) e Davi Kopenawa (Flecha para tocar o coração da sociedade não-indígena).
Além disso, o Teko porã terá semana de oficinas, exposições, teatro, filmes e shows de música, todas produzidas por (ou em parceria com) artistas indígenas, que são também consultores do evento. Dentre esses destaques terá a cantora chileno-brasileira Brisa Flow lançando seu novo álbum, “Selvagem como o vento”; o cineasta guarani Alberto Álvares lançando seu filme “O último sonho” e o grupo Dub for Galdino (cujo nome é em homenagem ao indígena Galdino Jesus dos Santos, assassinado há 22 anos).
NitNegócios