Festival vai transformar Niterói na capital nacional do Rock e do Blues

Festival vai transformar Niterói na capital nacional do Rock e do Blues

As principais bandas de Rock e Blues da cidade tem encontro marcado nos dias 9, 10 e 11 de setembro – sexta, às 19h30, e no sábado e no domingo, às 18h – no Teatro Popular Oscar Niemeyer, onde será realizado o “Niterói Rock’n’Blues Fest”. O evento, que terá entrada franca, contará com um grande show da banda Blues Etílicos e promete transformar Niterói na capital brasileira do Rock e do Blues.

O festival terá a participação de mais de 50 músicos, 95% deles nativos de Niterói, das mais variadas gerações e vertentes do Blues e, principalmente, do bom e velho Rock’n’Roll, que desfilarão com suas bandas neste que promete se tornar um dos festivais mais importantes do calendário musical da região.

A maratona musical terá início na sexta-feira, 09.09, quando sobem ao palco, a partir das 19h30, as bandas: ‘Os Únicos Quem’, com o rock dos anos 60, 70 e 80; ‘Calangles’, em um tributo aos Beatles; e o rockabilly do ‘Bloody Mary & The Munsters’.

No sábado, 10.09, a partir das 18h, será a vez da banda ‘Amákina’, do grupo ‘Old Stones’, em tributo a Jagger e cia, e, na última apresentação da noite, a ‘Soulshine Jam Band’, com suas versões originais dos clássicos do Blues americano.

No encerramento do evento, no domingo, 11.09, também a partir das 18h, o cardápio musical incluirá as seguintes atrações: ‘Alma Blues Band’, ‘Teachers on the Rocks’ e ‘Blues Etílicos’, a mais consagrada banda do gênero no país, com mais de 30 anos de carreira e fonte de inspiração para legiões de músicos.

AS BANDAS:

Os Únicos Quem (sexta, dia 09)
Na década de 60, surgiram nomes como “Os Únicos” e “Os Quem”, bandas que conquistaram milhares de fãs. Ter uma banda de rock era uma verdadeira febre. Quase 50 anos depois, os integrantes dessas duas bandas de sucesso decidiram realizar uma fusão. Surgiu assim “Os Únicos Quem”, em 2013, quando os músicos se reuniram para recordar momentos vividos e compartilhar suas histórias. O retorno aos palcos aconteceu no mesmo ano, no Bar Recanto do Almirante – Iate Clube Brasileiro.
A proposta musical da nova formação é o Rock & Roll anos 60, 70 e 80 e músicas mais recentes que se enquadram nesse padrão.

The Calangles Rock Band (sexta, dia 09)

Embora tenha como forte característica a atmosfera da beatlemania dos anos 60, a Calangles gosta de ser reconhecida como uma banda de puro rock’n’roll. O talento dos músicos faz com que o rock simplesmente flua e, consequentemente, músicas de outros artistas e de outros tempos acabam sendo inseridas no meio dessa engrenagem. O grupo ainda procura colocar uma pitadinha de ritmos regionais no tempero, homenageando o nordeste brasileiro. E é do Nordeste que vem a inspiração para o nome da banda, que nada mais é que uma mistura de calango, um simpático lagarto que vive naquela região, e Beatles, objeto inspirador do sexteto. The Calangles Rock Band, formada por Jéssica Abreu (vocal), Rodrigo Bessa (guitarra solo), Márcio Bressan (guitarra base), Rodrigo Machado (bateria), Junior Castanheira (baixo) e Rafael Martins (teclado).

Bloody Maryt & The Munsters (sexta, dia 09)

Formada por Bloody Mary (vocal), Filkenstein (guitarra), Marcus Zombie (baixo), Doctor Beast (teclados), Manu (tambores), Crocodile Louis (trompete) e Madness (saxofone), e ancorada no estilo rockabilly, a banda Bloody Mary & The Munsters tem como temática o charme e a sensualidade da Vintage Music, com suas pin-ups, penteados estilosos e tudo o que influenciou e ainda influencia os dias de hoje. Criada em 2012, em Niterói, a Bloody Mary & The Munsters tem como missão ser a fonte da juventude, cultuar o velho e apresenta-lo às novas gerações. Nesse clima retrô, assume o compromisso de resgata inesquecíveis momentos da música universal dos anos 1940, 50 e 60.

Amákina (sábado, dia 10)

A banda Amákina foi fundada em 2008 e já passou por diversos palcos do Rio e outros estados do país. Formada por Tuca Marques (Voz e Guitarra), Gerson Monteiro (Baixo) e Aldo Sá (Bateria), a banda apresenta obras autorais e versões inéditas de clássicos da MPB, além de sucessos nacionais e internacionais dos anos 60 e 70. Dona de um belo entrosamento musical, que encanta o público, a banda vem participando de vários programas de TV e Rádios. Atualmente, Amákina está divulgando o seu primeiro CD Oficial, intitulado “Na estrada – O Rock’n Roll Move as Engrenagens”, que já está sendo trabalhada em shows e em rádios diversas.

Old Stones (sábado, dia 10)

A banda Old Stones é uma banda que contempla, principalmente, o Rock’n’Roll e as baladas internacionais dos anos 60 aos 90. Em muitas oportunidades, ocorre também a inclusão do Blues e do Country. O repertório da Old Stones inclui temas de Elvis Presley, Joe Cocker, Led Zeppelin, Procol Harum, Light Reflections, The marmalades, Roy Orbinson, Beatles, Eric Clapton, Twisted Sisters, Kiss, Creedence and Clearwater Revival, Chuck Berry, Rolling Stones, Rod Stewart e Elton John. A banda foi formada por 3 integrantes (Braga Jr, guitarra solo e backing vocal; Carlos Alberto, guitarra, violão e vocal; Janildo Sá, baterista e vocais) e convidou Miguel Angelo, baixista e vocais, para fazer parte do time.

Soulshine Jam Band (sábado, dia 10)

A “Soulshine Jam Band” é uma banda que faz música como uma aventura livre e corajosa. Se expressando de forma diferente a cada show, com solos, improvisos, composições próprias e arranjos que homenageiam os grandes músicos deste segmento, a banda busca criar versões exclusivas das músicas, usando outros tons, diferentes divisões de tempo, mas respeitando sempre as canções originais. O resultado é um banho de criatividade, personalidade e originalidade. Grupos como Allman Brothers Band, Greatfull Dead, Doobie Brothers, The Band, Santana e The Doors fazem parte do repertório e da identidade da banda. Criada em 2009, a banda hoje é formada por Greg Wilson (vocal, guitarra e trompete), André Santanna (violão, guitarra, baixo e gaita), Rodrigo Machado (bateria), João Pompeu (teclados), Ricardo Romão (vocal, violão, baixo e gaita) e Jorginho (Percussão).

Alma Blues Band (domingo, dia 11)

Formada por quatro músicos experientes que imprimem na interpretação de cada tema, diversas influências sem macular a essência de cada Blues executado, a banda apresenta releituras de destacados clássicos do gênero, como: “Hoochie Coochie Man” (Willie Dixon), “Who Do You Love” e “Before You Accuse Me” (Bo Diddley), “Crossroads” e “Sweet Home Chicago” (Robert Johnson), “The Thrill Is Gone” (Roy Hawkins e Rick Darnell) e “Got My Mojo Working” (Preston Foster). O vocalista Percy Hatschbach, fundador da Salinas Blues, banda que há anos acompanha o lendário roqueiro Serguei, empresta à Alma Blues um timbre vocal à la Johnny Winter e uma pegada de violão e guitarra que emulam mestres como Robert Johnson e Muddy Waters. O baterista Paulo Mattoso, une o legado do inglês Steve Ferrone (batera do Clapton, Cash), ao contrabaixo funkeado de Ronaldo Cabral, que bebe na fonte dos groovers de James Brown. O guitarrista Renato Zanata, criador do projeto Roda de Blues e frontman da Zanata Trio, procura se alimentar dos timbres e fraseados de nomes como Peter Frampton, Hughie Thomasson (Lynyrd Skynyrd e The Outlaws), Eric Sardinas e Otávio Rocha (Blues Etílicos).

Teachers on the Rocks (domingo, dia 11)

Surgida no final dos anos 90, a “Teachers on the Rocks” é uma banda que já está na estrada do Blues e do Rock há 18 anos. Praticamente mantendo a formação inicial, o nome refere-se ao fato de a maioria de seus componentes serem professores e roqueiros. Atualmente, a banda é formada por seis músicos: Fabio Chechetti (vocal), Carlito (teclado), Serjão (guitarra e vocal), Renato Lacerda (guitarra), Daniel Portugal (baixo) e Leonardo Israel (bateria). Priorizando a fase áurea do rock (anos 60 e 70 basicamente), a “Teachers on the Rocks” revive alguns dos clássicos das principais bandas do período. As principais referências da banda são os Beatles, Lynyrd Skynyrd, Creedence, The Doors, Pink Floyd, Eric Clapton, The Who, Rolling Stones, Celso Blues Boy, Raul Seixas, Elvis Presley, entre outros.

Blues Etílicos (domingo, dia 11)

Quando o assunto é blues nacional, a “Blues Etílicos”, a banda há mais tempo em atividade nesse segmento, é referência. Se o blues hoje no Brasil é um mercado consolidado com inúmeros festivais que recebem a cada ano atrações nacionais e internacionais, muito se deve ao Blues Etílicos. Desde meados dos anos 80, a banda formada por Flávio Guimarães, Greg Wilson, Otávio Rocha, Pedro Strasser e Cláudio Bedran vem produzindo uma extensa obra autoral, além de gravar homenagens às suas principais influências, tendo lançado doze CDs e um DVD. Naquela época, era praticamente uma excentricidade se pensar em montar uma banda profissional de blues no país.
Graças ao trabalho contínuo e consistente do grupo, toda uma geração de músicos e produtores de shows se interessou por esse estilo musical, formando um público fiel e numeroso. Em 2015, a banda comemorou 30 anos de carreira com o lançamento do seu mais novo CD.

Serviço:
Niterói Rock’n’Blues Fest no Teatro Popular Oscar Niemeyer
Com a participação das bandas ‘Blues Etílicos’, ‘Os Únicos Quem’, ‘Calangles’, ‘Bloody Mary & The Munsters’, ‘Amákina’, ‘Old Stones’, ‘Soulshine Jam Band’, ‘Alma Blues Band’ e ‘Teachers on the Rocks’
Datas: 9, 10 e 11 de setembro
Horário: sexta, às 19h30; sábado e domingo, às 18h
Lotação: 460 pessoas
Local: Teatro Popular Oscar Niemeyer
Endereço: Rua Jornalista Rogério Coelho Neto, s/nº, Centro, Niterói-RJ (ao lado das barcas e atrás do Terminal Rodoviário João Goulart).
GRATUITO
Fotos/crédito: Leo Zulluh

ENVIAR MENSAGEM
Estamos online!
%d blogueiros gostam disto: