A peça “Pervertimentos e Outros Gestos Para Nada” entra em cartaz no CCPCM

Estreia na terça-feira, 21 de janeiro, o espetáculo teatral “Pervertimentos e Outros Gestos Para Nada”, com texto do dramaturgo espanhol José Sanchis Sinisterra, que, neste ano, completa 80 anos de vida. Com tradução e direção de Leonardo Simões, a peça será ambientada no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno e está diretamente relacionada à instalação cenográfica exposta nesse mesmo espaço, na Sala Quirino Campofiorito. Com entrada gratuita, o espetáculo fica em cartaz nas terças-feiras, até 18 de fevereiro.

Em “Pervertimentos e Outros Gestos Para Nada”, a provocante dramaturgia de Sanchis Sinisterra assume a homenagem a uma grande referência do Teatro do Absurdo: o dramaturgo Samuel Beckett, autor de “Esperando Godot”, uma das obras mais revolucionárias do século XX. Sinisterra propõe cenas quase abstratas, com textos descontínuos e muitas vezes cíclicos, que abordam principalmente o paralelo entre as relações humanas e a teatralidade, colocando em questão os conceitos diluídos de personagem, autoria, representação e espectador. A peça, conjugada com a exposição, problematiza a impossibilidade da comunicação humana; a existência efêmera como uma sucessão de fazeres enquanto se espera algo; a solidão; a finitude; e a degradação das relações.

O diretor Leonardo Simões atuará também como ator em cena, ao lado da atriz Raquel Penner e da violoncelista Gabriela Sepúlveda. O violoncelo, mais do que instrumento musical, atuará como um quarto integrante. Com sua sonoridade que se aproxima da voz humana, será uma testemunha pulsante que irá reagir ao ato sacro-profano dos atores. A dinâmica da encenação irá abranger a varanda e o espaço superior (Sala Hilda Campofiorito), onde haverá um painel sobre o autor, ao lado de informações sobre as trajetórias da Ofício e do NEPAC, que está completando 10 anos. O espetáculo se encerra no Terraço, com um debate entre os integrantes e o público.

O projeto cênico integrado, que articula diferentes formas de expressão artística, é uma realização da Ofício Produções, em parceria com o NEPAC (Núcleo de Ensino e Pesquisa de Artes Cênicas). Tal fusão, que traz o teatro como principal elemento, tem como estímulo o próprio artista-empreendedor que dá nome ao espaço: Paschoal Carlos Magno foi um homem de teatro; visionário experimentador de possibilidades; incentivador de novos talentos; um transgressor de limites, cuja história se mistura às raízes do moderno teatro brasileiro.

“Pervertimentos e Outros Gestos Para Nada” foi contemplada pela Chamada Pública para Teatro Adulto em Novos Espaços Cênicos da Prefeitura de Niterói, por meio da Secretaria Municipal das Culturas e Fundação de Arte de Niterói – FAN.

FICHA TÉCNICA

Texto: José Sanchis Sinisterra
Concepção e Direção: Leonardo Simões
Elenco: Leonardo Simões, Raquel Penner e Gabriela Sepúlveda (violoncelo)
Assistente de Produção: Rafa Barcelos
Iluminação e Vídeo: Ricardo Lyra Jr.
Fotos de divulgação: Bianca Oliveira
Produção: Ofício Produções

Co-Produção: Núcleo de Ensino e Pesquisa de Artes Cênicas (NEPAC)
Co-Produção: Ofício Produções e NEPAC (Núcleo de Ensino e Pesquisa de Artes Cênicas)

SERVIÇO

Pervertimentos e Outros Gestos Para Nada
Datas: 21 e 28 de janeiro; 4, 11 e 18 de fevereiro
Horário: Terças-feiras, às 20h
Duração: 70 minutos

Local: Centro Cultural Paschoal Carlos Magno – Galeria Quirino Campofiorito.
Endereço: Rua Lopes Trovão s/nº – Campo de São Bento – Icaraí – Niterói
Telefone: 2610-5748.
ENTRADA GRATUITA

Lotação: 40 espectadores. Serão distribuídas senhas no local, meia hora antes de cada apresentação.

NitNegócios